Ao tirarmos um carro zero-quilômetro da concessionária, ele passa a se desvalorizar automaticamente. Por isso, na hora de vender um veículo seminovo ou usado, é inevitável perder parte do dinheiro investido. Ainda assim, a Autotrac separou algumas dicas para você fazer um bom negócio e não sair no prejuízo quando for passar o seu xodó […]
Dicas para fazer um bom negócio na

Dicas para fazer um bom negócio na hora de vender o carro

Ao tirarmos um carro zero-quilômetro da concessionária, ele passa a se desvalorizar automaticamente. Por isso, na hora de vender um veículo seminovo ou usado, é inevitável perder parte do dinheiro investido. Ainda assim, a Autotrac separou algumas dicas para você fazer um bom negócio e não sair no prejuízo quando for passar o seu xodó para outro dono. Se a sua família conta com a segurança de um rastreador veicular da empresa líder de mercado, por exemplo, fique tranquilo, pois o One Carro pode acompanhar você e ser reinstalado em outro automóvel sem que aquele que vai ser vendido perca valor por isso.

Entre os aspectos aos quais você deve ficar atento na hora de vender um carro não estão só o visual e a limpeza do veículo. Poder contar com acessórios e estar com a documentação em dia, por exemplo, pode influenciar não só o valor de venda, mas também dar a certeza de concretização do negócio por parte do comprador. Confira as dicas:

Documentação e débitos

Antes de mais nada, até mesmo de anunciar o carro, para não encontrar imprevistos, passar vergonha e correr risco de o comprador desistir de fechar negócio por insegurança, verifique se toda a documentação e os débitos do veículo estão em dia.

Para realizar a transferência para o novo dono, você vai precisar do Certificado de Registro de Veículo (CRV). Esse documento é emitido no primeiro emplacamento e é normalmente confundido com o Licenciamento do Veículo (CRLV). Caso não tenha ou não saiba onde o CRV está, será necessário solicitar a segunda via ao Detran do seu estado.

Por falar no licenciamento, é importante saber que ele precisa estar em dia não só para o carro poder circular pelas ruas, mas também para que possa ser transferido para o comprador. IPVA, Seguro DPVAT e multas em aberto também impossibilitam a transferência do veículo. Verifique se está tudo certo e acerte as dívidas!

Valor de mercado

Saber quanto um carro como o seu está valendo no mercado é fundamental para que você tenha uma referência e não passe o seu xodó à frente por um preço injusto, abaixo do ideal. Para isso, tenha em mente que, nos dois primeiros anos, a desvalorização do veículo costuma ser mais acentuada e, nos seguintes, ficar numa média de 10% ao ano.

Procure na internet e nos classificados de publicações especializadas por carros à venda com modelo igual ao seu. Faça também uma consulta à tabela Fipe, que indica qual é o preço médio do seu veículo no mercado nacional.

Se for trocar de carro, tenha em mente que, em processos casados de compra e venda, concessionárias e lojas costumam desvalorizar o veículo que será entregue a elas na faixa de 20% a 30% em comparação com a tabela de mercado. Por isso, avalie se não é melhor fazer duas coisas separadas: primeiro, a venda do seu carro, talvez até para outra pessoa física, para, depois, realizar a compra de outro. Ainda assim, se for passar o carro para um estabelecimento, lembre-se de fazer a cotação de quanto concessionárias da mesma marca do seu veículo estão dispostas a pagar por ele. Na hora de revendê-lo, elas terão uma força maior e poderão pagar mais a você por isso.

Dicas para fazer um bom negócio na hora de vender o carro

Manutenção e cuidado

Na hora de argumentar a respeito da valorização do seu carro, utilize a seu favor, se for o caso, claro, a realização de revisões periódicas, dentro dos prazos corretos e respeitando as quilometragens e outras regras descritas no manual do veículo.

A média anual de rodagem de um carro é de 12 mil quilômetros. Se você percorreu menos do que isso, pode ser mais uma vantagem na hora da venda.

Presença de acessórios

A desvalorização sobre a qual falamos no início do texto também atinge os acessórios. O valor que pagamos na instalação de um item quase nunca será o mesmo que ele vai agregar na hora de vendermos o carro. Ainda assim, vale ressaltar que a presença de diversos acessórios, como ar-condicionado, faz a diferença para os compradores e deve ser levada em consideração na hora de argumentar a favor da valorização do seu carro.

Por falar em acessórios, quem conta com a segurança de um rastreador veicular Autotrac não precisa se preocupar na hora de vender o xodó em que o dispositivo está instalado. É possível fazer a transferência do One Carro para outro automóvel sem que o anterior perca valor. Para isso, só é preciso entrar em contato com a unidade da rede autorizada mais próxima de você ou ir até ela.

Se você ainda não conhece o rastreador de carros que é líder de mercado graças à tecnologia com que é desenvolvido, não perca tempo. Confira os diferenciais do One Carro e tudo o que a Autotrac pode fazer por você! Compre um para o seu novo xodó agora mesmo e acompanhe o que você valoriza 24 horas por dia, pela tela do celular ou tablet.

Leia também:

A importância da correta instalação do rastreador

Rastreador veicular Autotrac: funcionalidade e praticidade

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *