Ao escolher um xodó para chamar de seu, é preciso parar para refletir e considerar alguns pontos antes de fechar o negócio.

O que você precisa saber na hora de comprar um carro

Ao decidir comprar um carro, antes de começar a se preocupar com modelos, cores, preços, entradas, prazos e opções, é preciso refletir: ele é realmente necessário? As vantagens de ter um automóvel compensarão os custos mensais?

800x600 (1)

Já publicamos aqui, por exemplo, quais são as despesas que você deve colocar no papel para calcular o custo total de um carro durante o período de um ano.

Além dos custos, outras coisas a serem consideradas são os gastos intangíveis: tempo, energia, preocupação e estresse no trânsito. A qualidade de vida aumenta ou diminui com a compra de um carro?

Se o caminho que você escolheu é a certeza de comprar um carro, existem vários meios para que essa aquisição seja mais tranquila. Vamos começar pelas opções mais seguras antes de ir para as mais rápidas.

Tipos de veículos

A primeira coisa a fazer é delimitar a compra. Quais carros e modelos você está disposto a adquirir? Qual é o valor máximo que você pode desembolsar por mês e no total? Pesquise um modelo, por exemplo, que tem menor desvalorização ao longo do tempo.

A escolha de procurar um carro usado é a mais racional, já que um zero-quilômetro desvaloriza cerca de 20% logo no primeiro ano de uso. Por isso, pelo preço de um novo popular, você conseguiria um carro com um padrão um pouco melhor, mas com alguns anos de estrada.

A opção pelo carro zero não é errada. Muitas pessoas colocam na balança que essa escolha está ligada ao fato de deixar de ter dor de cabeça com manutenção nos primeiros anos de uso, principalmente considerando a garantia de fábrica. Nesse caso, a dica racional é: compre um carro zero, mas permaneça com ele por vários anos para compensar o valor a mais investido.

Tipos de pagamento

A escolha mais segura de todas (e uma com a qual certamente os especialistas estão de acordo) é que o melhor é poupar dinheiro, aplicar para render e, quando houver um montante suficiente, comprar o carro à vista. Assim é possível negociar preços e até acessórios. E o mais importante: você sai da loja com o carro quitado, sem aquele peso adicional das parcelas no orçamento mensal.

Essa escolha, no entanto, requer um planejamento muito antecipado e nenhuma pressa para obter o carro. Se não for o seu caso, existe uma opção que é um meio-termo entre o planejamento antecipado e a possibilidade de pegar o carro em uma pequena janela de tempo. Estamos falando do consórcio.

Como quem faz o consórcio não sabe quando será contemplado, trata-se de uma escolha parecida com a de poupar dinheiro. O que conta é o fator sorte no sorteio ou no lance. Mas tome cuidado: o que muitas pessoas não sabem é que se paga uma taxa em cima do valor do lance. Ou seja, esse é um dinheiro que também deve ser calculado.

Cuidado também na hora de desistir do consórcio. Junto com as parcelas mensais você paga taxas de administração e seguros, e esses valores não voltam para você. Além disso, ainda existe a multa da desistência. Faça a escolha certa, pois você também não conseguirá o dinheiro de volta rapidamente. Dependendo do contrato, ele será liberado apenas em sorteio ou ao final do grupo.

Financiamento

A forma mais rápida de conseguir pegar o carro é o financiamento, mas ela também é a mais burocrática e a mais cara. Isso porque numa economia em recessão e com a inadimplência em alta, as barreiras são maiores e os créditos, menores.

Os financiamentos não precisam de fiador. Mas geralmente as instituições financeiras pedem um avalista nos casos em que o comprador não comprove renda suficiente para pagar ou tenha alguma restrição de crédito que possa oferecer risco de inadimplência ao banco.

O prazo máximo comum para os financiamentos é de 60 meses, mas o que realmente define esse período e até a taxa de juros é o ano do veículo, seu potencial de desvalorização e o perfil de crédito de quem está comprando. Quem oferece mais risco tem prazos menores e taxas maiores.

A dica mais importante é: fique atento ao Custo Efetivo Total (CET), que todo banco é obrigado a fornecer. Ele é o valor total que você pagará, contando juros e demais taxas. Faça a comparação em todos os bancos para o mesmo veículo, a mesma entrada e o mesmo prazo, para ter uma ideia de quem oferece mais vantagens.

Antes de assinar, olhe para o seu orçamento. As parcelas cabem nos seus gastos mensais sem prejudicar as demais obrigações? Calcule junto com a parcela os gastos com combustível, estacionamento e seguro, e preveja quanto vai gastar com as revisões e com os impostos.

Segurança

Além do seguro, uma boa forma de ficar em paz com o patrimônio que acabou de adquirir (à vista, em consórcio ou financiado) é ter tecnologia para saber sempre onde ele está, se está seguro e com opções de apoio e suporte caso alguma coisa aconteça.

Com o Autotrac One Carro, você consegue monitorar, pelo seu celular ou tablet, sempre onde o seu xodó está. Se algo acontecer, a Autotrac também está pronta para ajudar com os serviços à vítima de crime e o atendimento de pronta resposta. O rastreador funciona 24 horas por dia e transmite sinais o tempo todo por rede celular e o posicionamento é acompanhado por satélites. Contrate agora o seu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *